Confinamento iminente, a luta será permanente. Com um novo fecho do país como uma certeza, os próximos tempos serão muito difíceis para a grande maioria da população. Um novo confinamento geral será decretado nos próximos dias. A saber, este será dentro dos mesmos moldes do que ocorreu em Março. No entanto, haverá algumas excepções que serão anunciadas ao país na próxima 4.ª feira, dia 13 de Janeiro.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirma que o confinamento é inevitável, nas suas palavras “Em relação ao futuro, penso que não há alternativa ao confinamento geral”. O cenário actual configura-se dantesco. Assim, anunciam-nos que os hospitais estão no seu limite. O Serviço Nacional de Saúde está no seu limite. E, a ministra da saúde já coloca a hipótese de uma requisição civil.

A vacina trouxe a esperança. Mas temos um longo caminho pela frente. Serão necessários muitos meses até atingirmos a imunidade de grupo tão desejada. Assim sendo, não podemos baixar a guarda. É obrigatório manter o distanciamento social. Trata-se de um dever cívico.

O número de mortos por Covid-19 atinge novos máximos. Bem como, o número de infectados. Inegavelmente são os mais frágeis que perdem a batalha contra o vírus. E, apesar de todos os esforços, por vezes a luta é inglória. Às vezes esquecemo-nos que somos apenas humanos.

O confinamento e as restrições passaram a fazer parte do nosso quotidiano. Mas não acreditávamos que voltaríamos a um confinamento geral. Um cenário que julgámos já ultrapassado. Enfim, as ruas voltarão a estar desertas, as lojas fechadas e uma crise económica e social sem precedentes.

Um confinamento iminente, mas a luta contra o vírus será permanente. Não podemos deixá-lo vencer. Da mesma forma, não podemos deixar esmorecer a nossa vontade de lutar. Assim, importa não esquecer que está nas nossas mãos travar a disseminação da doença. Façamos a nossa parte. Sigamos as recomendações da Direcção-Geral da Saúde. O vírus está em todo o lado. Depende de si, depende de cada um de nós ajudar a achatar a curva.

Por fim, uma palavra de ânimo e incentivo a todos os que desde o início da pandemia lutam sem cessar com todas as suas forças na linha da frente. Principalmente, uma palavra de apreço por não só estarem na frente, mas igualmente na rectaguarda.

A todos Vós que nunca baixaram os braços, que nunca atiraram a toalha ao chão, OBRIGADA. Estamos aqui para Vos aplaudir de pé. Estamos aqui para Vos apoiar.

Confinamento iminente, a luta será permanente. Não desistam, porque nós não desistimos.

BEM HAJAM, PORTUGUESES!!!

Com toda a certeza a BCoTech – ao seu lado no presente e no futuro. Juntos somos mais fortes.

Nota: este texto não foi escrito ao abrigo do Novo Acordo Ortográfico

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *